O lixo no lixo certo

Uma atitude simples, como eliminar a lixeira que há embaixo de cada mesa dentro do escritório, pode ser uma boa maneira de reduzir custos, ajudar o meio ambiente e gerar renda para famílias carentes. É o que mostra um programa da Porto Seguro, terceira maior seguradora do país, que incentiva funcionários a abrirem mão das lixeiras. Em cada andar dos sete prédios da matriz da empresa, no centro de São Paulo, ficam agora disponíveis três dispensadoras grandes: uma para lixo orgânico, outra para todo tipo de lixo reciclável e, ao lado da impressora, uma terceira só para papel.

Os resultados já começam a aparecer. Segundo Mirian Mesquita, responsável pela área de sustentabilidade e responsabilidade social da Porto Seguro, houve uma redução de custo próxima de R$ 30 mil com o manejo do lixo desde a implantação do projeto, há um ano e nove meses. Do total de resíduos produzidos, cerca de 56% correspondem a material reciclado. Além dos custos com a divulgação e a logística do projeto, o investimento incluiu R$ 11 mil com a compra de uma trituradora.

O projeto foi feito em conjunto com a Associação Vira Lata, uma organização sem fins lucrativos que promove projetos na área de reciclagem. No começo da parceria, foram contratados mais 15 funcionários na cooperativa só para reciclar o lixo dos escritórios da Porto Seguro. Nove meses atrás, quando foi lançado o programa de devolução voluntária das lixeiras individuais, mais 20 funcionários entraram na cooperativa para atender à nova demanda. A Vira Lata, que conta hoje com 100 cooperados, retira 1,4 tonelada de lixo todos os dias da matriz da Porto Seguro e faz sua reciclagem. São produzidos outros 526 quilos de lixo orgânico diariamente.

A equipe que faz a limpeza na empresa recebe treinamento para dar sequência à coleta seletiva, além das lixeiras de cada andar. “É simples ensinar o pessoal da limpeza, porque eles entendem melhor os efeitos que o programa tem para os cooperados da Vira Lata”, diz Mirian. As instruções são repetidas mensalmente, já que o serviço de limpeza é feito por uma empresa terceirizada, a ISS, e há muita troca de pessoas.

Para divulgar a ideia, além dos veículos de comunicação interna, Mirian e sua equipe criaram um símbolo para o programa, a Belinha, uma borboleta que estampa todas as lixeiras. Até o início de maio, 57% dos 5 mil funcionários da matriz da seguradora haviam aderido à campanha. A companhia prepara mais uma ação de conscientização para devolução voluntária das lixeiras. A ideia é que numa próxima fase todas sejam retiradas, ainda que por iniciativa da empresa. A Porto Seguro quer expandir o projeto para 38 unidades em São Paulo e para a filial do Rio de Janeiro. A intenção é impactar seus 7,5 mil funcionários.

[ + ] Fonte: Época Negócios

3 comentários em “O lixo no lixo certo”

  1. EDMA GIAZZI MOUTA

    Sou coordenadora de projetos educação, gostaria de saber possibilidade de palestras sobre reciclagem, lixo, para scola pública, para alunos de 7ª e 8ªsérie.

    Atenciosamente

    Edma Giazzi Mouta

    Coordenadora de projeto da educação.

  2. gostaria de informaçoes sobre o projeto vira lata, sou sucateiro,hj trabalho retirando sucata das oficinas de funilaria,tenho uma empresa constituida para tal finalidade, no aguardo,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *