Maioria das escolas públicas ficam abaixo da média do Ideb

No ano passado, a maioria das escolas (56,2%) teve notas abaixo da média nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para os primeiros anos do ensino fundamental. O índice ficou em 4,6 pontos, em uma escala que vai de 0 a 10. Em 2009, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) avaliou o desempenho de 43,4 mil instituições de ensino públicas.

Entre os locais avaliados, 57,6% conseguiram atingir as metas estabelecidas para as séries iniciais. Outras 20% não conseguiram alcançar suas metas e 22,38% não tinham metas estabelecidas, por não terem participado da avaliação em 2005, quando o Ideb começou a ser instituído.

O Ideb é calculado a cada dois anos e serve para avaliar a qualidade do ensino público no País. Cada escola tem uma meta e recebe uma nota, levando em conta o rendimento escolar e as notas obtidas pelos alunos na Prova Brasil.

Ao criar o Ideb, o Inep estabeleceu metas de qualidade que devem ser atingidas pelo país, pelos estados, municípios e pelas escolas. Assim, levando em conta a realidade de cada local, cada instância deve evoluir de forma a contribuir para que o Brasil atinja a média 6 em 2021, que é o patamar dos países mais desenvolvidos.

A nota mais baixa registrada entre as escolas foi 0,2, atingida pela Escola Estadual Jovem Protagonista, que fica em Belo Horizonte. Em seguida, aparecem as escolas municipais Firmo Santino da Silva, em Alagoa Grande (PB), Professor Francisco de Assis Cavalcanti, em Natal (RN) e Boa União, em Eunápolis (BA), todas com nota 0,5.

As três escolas com notas mais altas são de Cajuru (SP), o mesmo município que ficou em primeiro lugar na última avaliação do Ideb. A escola Aparecida Elias Draibe ficou com nota 9, e as escolas André Ruggeri e Dom Bosco tiraram 8,8.

[ + ] Fonte: Uol Educação

2 respostas para “Maioria das escolas públicas ficam abaixo da média do Ideb”

  1. A maioria das escolas públicas continuarão abaixo de qualquer avaliação divulgada.Pois devido ao baixo desempenho e falta de extímulo por parte dos professores(devido à seus baixos salários), quem acaba sofrendo as consequencia são os estudantes que dependem do ensino público.Hoje em dia os professores de escolas públicas ao invés de ensentivar seus alunos a participarem de suas diciplínas,acabam não extimulando e jogando suas frustações em seus alunos, sendo assim preferindo dar ocorrências por qualquer motivo e fazendo com que os alunos fiquem mais suspensos da escola.

    Isso é ridículo,fico preocupada é com o futuro dessa nova geração. Porque esses profissionais não estão preocupados com o tipo de formação que estão proporcionando ao seus alunos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *