Governadores querem alterar critério de reajuste do piso nacional dos professores

Dez governadores reuniram-se nesta terça-feira (28) com o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Marco Maia (PT-RS), para pressionar pela aprovação de um projeto de lei que propõe alterar o critério de reajuste do piso nacional do magistério. Atualmente, a legislação determina que o piso dos professores deve ser corrigido de acordo com o percentual de crescimento do valor mínimo anual por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Como entre 2011 e 2012 esse aumento foi 22%, o piso também foi corrigido pelo mesmo patamar, passando de R$ 1.187 para R$ 1.451. Os valores foram anunciados ontem (27) pelo Ministério da Educação (MEC).

Pelo projeto de lei defendido pelos governadores, que foi aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara e aguarda aprovação em plenário, o piso seria corrigido anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação. De acordo com o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, atualmente, apenas oito estados pagam aos professores de suas redes de ensino o valor que determina a lei.

“Sou a favor do piso e fui o primeiro governador a aplicá-lo. Mas você aguentaria pagar um reajuste de 22% ao ano para o seu empregado se o seu salário só é reajustado 6% ou 7% [referindo-se à inflação]? Essa matemática não vai fechar. Nós somos contra esse critério de reajuste”, disse Puccinelli ao sair da reunião.

O governador argumentou que os impostos e tributos são calculados a partir da inflação e, por isso, o salário dos professores deveria seguir o mesmo critério já que a fonte para o pagamento é a arrecadação dos estados. Segundo Puccinelli, já é previsto que, para 2013, o crescimento do valor por aluno do Fundeb fique entre 18% e 23%, o que significaria um aumento semelhante para o piso, caso seja mantido o atual parâmetro de reajuste.

De acordo com a deputada Fátima Bezerra (PT-RN), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Piso, com o anúncio do novo valor do menor salário do professor, qualquer alteração nos critérios de reajuste valerá apenas para 2013. Ela sugere que seja montada uma mesa de negociação com parlamentares da bancada da educação, dos estados, municípios e do governo federal, para discutir possíveis mudanças. Para a deputada, entretanto, o INPC não é um bom critério, já que apenas a correção pela inflação não garantirá ganhos para a categoria.

Com o anúncio do piso para 2012 e a discussão da mudança dos critérios de correção, o deputado Izalci (PP-DF) disse que, agora, “acende um alerta” em relação aos movimentos de greve de professores nos estados e municípios, já que alguns entes federados não pagarão o valor fixado por lei. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) planeja uma paralisação nacional nos dias 14, 15 e 16 de março, com o objetivo de cobrar a efetiva aplicação da lei.

[ + ] Fonte: Último Segundo

8 respostas para “Governadores querem alterar critério de reajuste do piso nacional dos professores”

  1. Os nobre corruptos governadores querem que o reajuste do piso salarial do professor seja corrigido pelo INPC. pergunte pra eles se eles querem a mesma correção para o valor anual do aluno?

    Esses caras são muito corruptos, só pensam neles.

  2. Senhores governadores ja pensaram em trocar de posição salarial com os professores ou não são nem capazes de imaginar… viver ou sobreviver com esse ínfimo salário.

  3. Deveriam ver o salario pago aos professores de nova friburgo,é uma vergonha!sem contar inumeros concursos que nunca são validos e com isso perdemos nosssos direitos.

  4. Esses nobres corruptos governadores não dizem quanto recebem para corromper as pessoas, destruir a máquina pública e denegrir a imagem do nosso país lá fora como o mais corrupto do mundo. Eles sabem que o povo consciente não vota em corrupto, daí a explicação porque eles não querem um professor ganhando bem, porque vai dar uma boa aula. transmitir bons conhecimentos entre outras coisas.
    obrigado pela oportunidade !!! NESSA ELEIÇÃO ANULE O SEU VOTO. VOTE 157. NÃO ESQUEÇA. 157.

  5. Eu gostaria de saber dos senhores governadores e deputados que estão opondo ao reajuste dos professores se eles não acham que o salários deles não pesam para nós contribuintes e se o salário deles é justo?

    1. Concordo plenamente contigo. Não sou professor, mas minha namorada sofre com este tipo de situação. Ela rala muito para conseguir manter todas as despesas e este aumento seria um ótimo início para uma possível mudança e até valorização dos professores. Quando a situação é com eles, não precisamos nem citar que eles fazem de tudo para aprovarem. Salários altíssimos, eles não buscam o que é de interesse do povo e sim os seus próprios interesses. Que pena que o Brasil está nesta situação, com um monte de frutas podres na política.
      Quem sabe com a ficha limpa surjam alguns melhorzinhos dos que estes que estão sugando nosso suor em benefício próprio?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *