Deivid perdeu o gol que até a vovó faria

Um jornal do Rio de Janeiro resolveu satirizar o gol perdido pelo atacante Deivid, jogador do Flamengo.

“Esse até a minha avó faria!”. O bordão eternizado nas transmissões dos jogos de futebol é a melhor frase para resumir o pensamento do mundo inteiro a respeito do gol perdido por Deivid contra o Vasco.

A primeira a participar da reconstituição da ‘cena do crime’ foi Dona Marly de Moraes, de 78 anos. A aposentada chegou animada à quadra, no Aterro do Flamengo. Vestida com o Manto Sagrado – mas com o nome de Ronaldinho às costas e o número10, provavelmente para não atrair o ‘azar’de Deivid -, ela não se intimidou e logo de cara disse que nunca perderia a chance incrível que o ‘réu’ rubro-negro mandou na trave.

“Lógico que eu faria aquele gol. Era só pensar na galera gritando na arquibancada e na raiva que a torcida arco-íris sentiria, que eu tranquilamente botava lá dentro”, disse a vovó.

A artilheira do nosso teste acertou todas as oito bolas cruzadas na pequena área. Mas ela revelou que teve uma ajuda muito especial.

“Dizem que é difícil, mas uma vez falei com o Zico e ele me disse que basta concentração e vontade de fazer o gol. É fácil”, tirou onda Dona Marly, que deu um toque no camisa 9.

“Quero que o Deivid se aprimore e deixe o espírito do Mengão entrar no coração e nos pés. O jogador precisa ter cérebro nos pés também”.

Assista o vídeo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sair da versão mobile